quarta-feira, 24 de março de 2010

Últimos passos

- E há quanto tempo buscava isso?
- Nunca busquei. Isso não se encontra assim.
- Calma. Você não me entendeu.
- Não, não. Quem não me entendeu foi você!
- Por quê?
- Isso não se acha, se ganha.
- Merecimento você diz?
- Muito mais que isso.
- Mais do que merecer?
- Não sei bem. Me parece mais. Há que ganhar mesmo, entende?
- Mas afinal, ganha quem merece oras!
- Tudo bem. Acho que merecimento pode estar certo.
- Como sempre, contradiz-me sem pensar.
- Faço isso por merecer, não sei se nota!
- Não merece nem meu riso, seu idiota!
- Mereço pois o tenho.
- Mas merecimento nem é tudo mesmo, né?
- Provaste a mim do contrário.
- Provei nada. Se cansou de argumentar.
- Nunca me canso.
- Por que não?
- Porque você não merece.
- Pois, não?
- Talvez um pouco.
- Você é ridículo.
- Sei disso.
- Mas se não buscava, o que fazia?
- Esperava para poder merecer.
- (Ninguém merece...)
- Ouvi isso... e mereço!
- Merece mesmo, mostre!
- Tenho feito isso há tempos.
- Digo que desde de sempre és arrogante.
- Ei de ser o que dizes, pois conhece-me.
- Pare de asneiras. Ironias não me atingem.
- Tanto atingem que perdeste a linha.
- És perito na arte de me irritar.

Uma voz pronuncia palavras decoradas em ensaios:
- Aceito.
A mesma voz diz palavras semelhantes, às quais ela responde:
- Aceito.

Um beijo longo.

7 comentários:

  1. Isso foi legal! :-))

    Outro longo beijo :-*****

    ResponderExcluir
  2. é do tipo que se precisa voltar ao começo e quando estiver quase chegando ao fim, voltar ao começo de novo.. e se pah é assim q tem que se ler tb a vida em si, pra gente não se cansar dela :D gostei, Alê! vai pro livro!

    ResponderExcluir
  3. caraca... foi ótimo ler isso... =D salvou minha noite ;D

    ResponderExcluir
  4. galera entra no meu blog tbm viciobakugan.blospot.com

    ResponderExcluir
  5. depois disso tudo, não sobrou mais nada para comentar.

    ResponderExcluir